nova Hip Hop na Facul

Programação contou com artistas de grafite, breakdance, MC’s e DJ’s no estacionamento ao lado do Restaurante Universitário

Aconteceu no último domingo (7) o evento “Hip Hop na Facul”, organizado em conjunto pela Diretoria de Cultura (DCU) da Universidade Estadual de Maringá (UEM), o Diretório Central dos Estudantes (DCE), a Prefeitura de Maringá e a Matriark Produções. 

Com uma programação diversa e 5 horas de apresentações, o evento reuniu artistas de Maringá, Sarandi e apresentações do “Povo Preto na Área”. Estiveram presentes artistas de todos os “4 pilares do Hip Hop”: grafite, breakdance, MC e DJ, além de uma feira colaborativa de expositores locais, foodtrucks e discotecagem.

O pró-reitor de Cultura da UEM, Rafael da Silva, comentou sobre a importância desse evento. “O movimento Hip Hop é um movimento das periferias, das populações negras. É um grito de resistência às opressões que elas vivem e reconhecer isso do ponto de vista da universidade é extremamente fundamental”.

Para o gestor da Diretoria de Cultura da UEM, André Rosa, a avaliação é “extremamente positiva” entre a comissão organizadora, os artistas participantes e o público que compareceu, e reafirma a relevância do evento. “Ele se dá de várias camadas, uma pela própria cultura do Hip Hop, um movimento que existe no caso de Maringá há 50 anos, e que agrega uma série de elementos como a música, a dança, o grafite e que também, por todo seu percurso histórico é uma cultura urbana de resistência da população negra”.

Durante o evento, o Restaurante Universitário (RU) teve vários de seus muros grafitados pelos artistas presentes. “Olhar o RU agora e ver os vários grafites que foram desenvolvidos na tarde de ontem, isso dá uma valorização para o patrimônio público que é a UEM, tornando ela uma tela”, conclui Rosa. 

2024 08 08 Mural RU 6

Grafites feitos nos muros do Restaurante Universitário

 

 Rafael reforça o plano de ocupar a UEM através dos eventos culturais, inclusive aos fins de semana. “Foi um primeiro passo de muitos que virão, porque o nosso objetivo é levar adiante, todo ano ter o ‘Hip Hop na Facul’, com o edital para sempre grafitar algum espaço dessa Universidade, deixar a Universidade muito mais acolhedora, muito mais inclusiva, muito mais colorida, muito mais divertida”, completa o pró-reitor.

Hip Hop na Facul 3

 Batalha de rimas fez parte da programação

*Texto redigido com a supervisão dos jornalistas da Assessoria de Comunicação Social (ASC)