queimadas

Estudo realizado em zonas climáticas distintas prevê novas técnicas e estratégias na prevenção de incêndios e queimadas florestais

Pesquisadores do Centro de Tecnologia (CTC) da Universidade Estadual de Maringá (UEM) estão desenvolvendo o projeto de Iniciação Científica (PIC), ‘Predição do número incêndios e impactos ambientais na região da Amazônia e na região de Alberta: um estudo comparativo’. 

Orientados pelo professor Ricardo Puziol de Oliveira, do Departamento de Meio Ambiente (DAM) da UEM, os pesquisadores visam desenvolver novas técnicas estatísticas para estudos ambientais a fim de obter um prognóstico detalhado dos eventos para criar estratégias na prevenção de incêndios e queimadas florestais. Problema este que, tem se tonado muito comum nos últimos anos, majorando uma questão ambiental de alto impacto, especialmente na América do Sul e do Norte. 

“Neste projeto, fazendo uso de dados de domínio público do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e o do registro dos incêndios de Alberta, será apresentado metodologias estatísticas assumindo-se a variável resposta quanto ao número de incêndios, com o objetivo de verificar quais fatores, humanos ou naturais, estão relacionados com essa variável”, explica Oliveira. 

Ainda de acordo com Oliveira, serão utilizados modelos probabilísticos, como o INGARCH, e de séries temporais para fazer previsões, verificar tendências e identificar os fatores que influenciam o número de incêndios. “Como resultado, espera-se que a metodologia proposta seja suficiente para fazer predições em curto prazo a fim de ter controle do número de incêndios para medidas preventivas e redução de seus impactos ambientais”, conclui.