notificando casos

Monitorar casos hospitalizados da síndrome tem sido essencial na identificação antecipada de epidemias de doenças como a Covid-19

O pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, Leonardo Soares Bastos, fará, no dia 30 de julho, às 14 horas, uma palestra online sobre o tema “Corrigindo o atraso de notificação da Síndrome Respiratória Aguda Grave em pacientes hospitalizados”, uma vez que este atraso, mensurado pelo tempo entre a identificação do caso e a entrada do caso no sistema, é um problema conhecido na vigilância epidemiológica.

Nesta live, por videoconferência, na plataforma do Google Meet, a convite do Programa de Pós-Graduação em Bioestatística (PBE), da Universidade Estadual de Maringá (UEM), Bastos vai mostrar que o atraso da notificação da SRAG acontece por diversos motivos, e, nessa apresentação, além de definir o que é um caso de SRAG e sua relação com a Covid-19, o pesquisador irá apresentar o método de correção de atraso de notificação proposto em Bastos etal. (2019, Stats in Medicine). 

O método já é utilizado em dois sistema de alerta de epidemias (InfoGripe e Infodengue). Durante a live, o palestrante se utilizará de dados abertos no site do Ministério da Saúde para apresentar estimativas de nowcasting no País.

Pesquisador associado do Programa de Computação Científica, da Fiocruz, onde também é professor, Bastos atua no desenvolvimento de métodos estatísticos bayesianos aplicados a epidemiologia das doenças transmissíveis. Tem graduação, mestrado e doutorado em Estatística, além de ter feito estágio de pós doutorado em epidemiologia de doenças infecciosas na London School of Hygiene and Tropical Medicine, Reino Unido. 

É membro eleito do International Statistical Institute (ISI) e membro associado da Associação Brasileira de Estatística (ABE). Também é membro permanente nos programas de pós-graduação em Epidemiologia em Saúde Pública (ENSP) e Biologia Computacional e Sistemas (IOC) da Fiocruz. Tem experiência em modelos lineares generalizados mistos bayesianos, computação bayesiana e modelos espaço-temporais.

Cabe ressaltar que, no contexto da vigilância epidemiológica, monitorar os casos hospitalizados de síndrome respiratória aguda grave (SRAG), o que é feito no Brasil desde 2009, tem se mostrado de extrema relevância na identificação antecipada de epidemias de doenças respiratórias virais como a Influenza e, mais recentemente, a Covid-19. 

Os interessados em acompanhar a palestra precisam encaminhar e-mail de confirmação para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Outras informações no site do PBE da UEM. O telefone é (44) 3011-5450.