Tools

 CONCERTO ORQUESTRA DE FLAUTAS

Os concertos, gratuitos, ocorrerão na Zona 1 e no câmpus sede da UEM, em Maringá, quarta e quinta-feiras

A Orquestra de Flautas da Universidade Estadual de Maringá fará duas apresentações na próxima semana, sendo uma no dia 12 de dezembro (quarta-feira), às 20 horas, no Espaço Nova Canção, à avenida Mauá, 1.448, Zona 1, em Maringá, e, outra, no dia 13 (quinta-feira), às 20h30, no Teatro Universitário da UEM (TUM), câmpus sede, em Maringá, ao participar da formatura da acadêmica Isabelle Ascêncio. 

A Orquestra é coordenada pelo professor Bernhard Fuchs e a direção musical será do maestro Marcello Stasi e do acadêmico Adoniram Franchetti, que vai reger a Orquestra B, criada para dar oportunidade para que novos músicos aprendam a dinâmica de participar de uma Orquestra de Flautas. 

A convidada Karen Guimarães, formada no curso de Música da UEM, na habilitação flauta transversal, se especializou na execução do piccolo (flautim). O evento marca também a despedida do maestro Marcello Stasi, que esteve à frente da Orquestra em 2018.

Natural de São Paulo, Marcello Stasi é professor de regência e composição da UEM, tendo também lecionado estas disciplinas na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), na Faculdade Souza Lima, em São Paulo, e na Universidade Estadual Paulista (Unesp). 

Como compositor, teve a obra Canoada apresentada na Sala São Paulo e na programação do Festival de Inverno de Campos do Jordão. Foi o responsável por diversas encomendas e estreias de obras de compositores contemporâneos, incluindo o Concertino para Viola Caipira de Neymar Dias, Fantasia para Luiz Gonzaga, de Guilherme Ribeiro, e obras de Felipe Senna, Patricia de Carli e Jaime Alem. 

Divulgador do repertório sinfônico brasileiro, vem trazendo à tona algumas joias esquecidas deste repertório, como o balé O Espantalho, de Francisco Mignone, e a Sinfonia Militar de João Gomes de Araújo. Em 2013, estreou no Brasil com grande sucesso a obra The Composer isDead, do compositor americano NathanielSootkey, na Sala São Paulo, e em duas séries de concertos didáticos em São José dos Campos e no Festival de Campos do Jordão. 

Além da regência e composição, também se dedica à pesquisa e à musica de câmara, tocando o traverso (flauta barroca) em grupos especializados na execução do repertório dos séculos XVII e XVIII. Paralelamente à produção como músico erudito, recentemente deu início a uma produção como compositor popular.

A Orquestra

A Orquestra de Flautas da UEM tem como objetivo o desenvolvimento profissional para seus integrantes, flautistas e regentes, além de propiciar à comunidade o contato com obras musicais de diversas culturas, épocas e gêneros, reaproximando o público de uma escuta histórica e de formas culturais mais abrangentes.  

A existência das orquestras de flautas, também conhecidas como FluteChoir, são recentes na história da música, e, por esse fato, levam até a comunidade experiências musicais que transpõem a básica experiência musical oferecida pelos meios de comunicação, oferecendo um ambiente de aprendizado e contato com formas musicais de diversas culturas.

Programa

Na primeira parte do programa (Orquestra B) constam as peças Greensleeves to a ground - tema e variações, de Priscilla’s Song e Dragonborn, arranjadas para a Orquestra pelo compositor e flautista Wellington Alves e Priscilla’s Song de Marcin Przybylowicz, que é um tema do jogo The Witcher 3: Wild Hunt, arranjado para flautas. 

Na segunda parte (Orquestra A), constam o concerto de Brandenburgo n. 3, de J. S. Bach, adaptado para flautas por John Davis. É o terceiro de uma série de seis concertos considerados obras primas da música. 

Nele, um instrumento ou pequenos grupos de instrumentos realizam pequenos solos acompanhados pelos demais que vão se alternando. As outras peças são Enigma Variations, de Edward Elgar; The Arrival of the Queen of Sheeba, de G.F.Handel; e O Allegro maestoso do Concerto em Sol Maior, de W.A.Mozart, que terá o solo de Wellington Tangi Miguel, do curso de Música da UEM. Para finalizar, a Suíte Antiga de Alberto Nepomuceno e Aquarela do Brasil, de Ary Baroso. 

 

Projeto de extensão:  Orquestra de Flautas 

Coordenação: Bernhard Fuchs

Regência: Marcello Stasi, Adoniram Franchetti, Isabelle Ascêncio

Flautim: Karen Guimarães (convidada)

Flauta 1: Wellington Eleutério Alves

Flauta 2: João Paulo Costa

Flauta 3: Wellington Tangi Miguel

Flauta 4: Beatriz Paulino Pereira, Joel Evangelista

Flautas Contralto: Jean A. Benetti dos Santos

Flauta Baixo: Paulo Cesar Gomes

Flauta Contrabaixo: Bernhard Fuchs

Pandeiro:  Sthephaine Paloma A. da Silva (convidada)