Tools

webo

Trata-se do maior ranking acadêmico do mundo, que analisa mais de 24 mil instituições de ensino superior, e é elaborado por grupo de pesquisa ligado a um Conselho na cidade de Madrid, na Espanha

A Universidade Estadual de Maringá (UEM) subiu uma posição no cenário brasileiro e da América Latina, ficando na 26ª colocação entre as instituições de ensino superior do País e na 47ª na AL, conforme o mais recente levantamento do ranking web of universities, também conhecido por Webometrcis, da Espanha.

Trata-se do maior ranking acadêmico nesta área, realizado pelo Laboratório de Cybermetrics (CSIC) para fornecer informações confiáveis, multidimensionais, atualizadas e úteis sobre o desempenho de universidades de todo o mundo. 

No mesmo levantamento, a UEM alcançou a 1.181ª colocação entre as melhores instituições de ensino superior do mundo. Isso significa que a Universidade Estadual de Maringá melhorou 18 posições em relação ao ranking anterior, de 2017, quando ocupava a 1.199ª colocação mundial.

O Webometrics é um sistema de classificação de universidades em todo o mundo com base em um indicador composto que leva em conta tanto o volume do conteúdo da instituição na web (número de páginas e arquivos) quanto a visibilidade e o impacto destas publicações on line de acordo com o número de citações do site que receberam.

Leva em conta, ainda, a transparência, com base no número de citações de autores de renome; e a excelência, considerando o número de trabalhos entre os 10% mais citados em 26 disciplinas.

A classificação é publicada pelo Laboratório Cybermetrics, grupo de pesquisa do Conselho Superior de Investigações Científicas (CSIC), localizado em Madrid, Espanha. Desde 2004, o Ranking Webometrics é publicado duas vezes por ano, abrangendo mais de 24 mil Instituições de Ensino Superior ao redor do mundo.

A Universidade de São Paulo (USP) é a primeira colocada no Brasil e na América Latina e a 72ª no mundo. Entre as instituições de ensino superior públicas da rede estadual no Paraná, a Universidade Estadual de Londrina, melhor pontuada, alcançou a 22ª no Brasil, 42ª na América Latina e a 1.130ª no mundo.

Segundo o vice-reitor da UEM, Julio Damasceno, o resultado evidencia que a Universidade Estadual de Maringá se consolida como uma instituição de ensino superior sobretudo de pesquisa, e que, para isso, conta um quadro de professores e agentes universitários de alta competência, além de infra-estrutura de laboratórios e equipamentos de tecnologia de ponta.

Ainda na avaliação dele, os servidores contam com um ambiente de trabalho favorável no que fiz respeito ao número de horas dedicadas às atividades na Universidade. "A UEM também consegue esta performance no Webometrics devido à qualidade de seus projetos, que resulta na expressiva captação de recursos junto às agencias financiadoras", conclui Damasceno.