Tools

subestacao

Com investimento de mais de 1,6 milhão, o serviço entrou em funcionamento hoje (21), depois de quinze meses de obra

O sistema elétrico do câmpus sede da UEM (Universidade Estadual de Maringá) recebeu um importante reforço com a entrada em funcionamento da nova subestação de energia. Em obra desde o ano passado, a subestação entrou em operação nesta quinta-feira, dia 21, com dois transformadores de 6.000 kVA (quilovoltampere) e uma entrada de 34,5 kV (quilovolt).

Na prática, quer dizer que as recorrentes quedas de energia em horários de pico, principalmente no verão, fazem parte do passado. Além disso, vai possibilitar maior flexibilidade e reconfiguração do sistema elétrico do câmpus, inclusive com aumento de carga, o que é uma necessidade real dentro do processo de expansão física da Universidade. “Podemos liberar a instalação de novos equipamentos de pesquisa, que era uma demanda reprimida aqui no câmpus”, explica o prefeito Carlos Augusto Tamanini.

A obra recebeu um investimento de mais de 1,6 milhão, em recursos próprios da Universidade. O reitor da UEM, Mauro Baesso, explica que a atual gestão deu prioridade ao serviço, mesmo diante de um cenário econômico difícil, considerando que essa era uma obra de grande importância.

“A UEM vinha enfrentando déficit de disponibilidade de carga na rede elétrica há muitos anos, provocando queda de energia e afetando todos, em especial os alunos dos cursos noturnos que sofriam com a interrupção das aulas. Sem falar no risco de danos nos equipamentos”, justifica o reitor.

subestacao 2 1

Carlos Augusto Tamanini, Mauro Baesso, Carlos Antônio Pizo e João Carlos Palazzo, professor do Departamento de Farmácia, visitam a nova subestação

A necessidade de aumento da carga elétrica contratada com a Copel desenhou-se já em 2008, quando tiveram início as construções dos novos blocos no câmpus. Sabia-se desde então que as demandas de consumo iriam crescer e rede elétrica em uso não teria condições de suportar aumento de carga. A subestação antiga tinha a capacidade instalada de 13,8 kV.

“Hoje já podemos dizer que a nossa rede permite atender não só as demandas atuais, mas também as futuras”, diz o assessor especial da Prefeitura do Câmpus, Carlos Antônio Pizo, destacando que a Copel construiu um ramal exclusivo para a UEM, com a tensão de 34,5 kVA, atual demanda contratada pela UEM.

Pizo lança mão de uma metáfora para explicar qual foi o ganho com a nova subestação. “Imagine uma Van com capacidade para 12 passageiros e circulando com 25 pessoas. Era mais ou menos assim que estava nossa rede elétrica. Hoje temos um ônibus à nossa disposição”.

Desculpando-se pelos inevitáveis transtornos causados, principalmente nos últimos dias, com os constantes desligamentos programados de energia para ligação dos novos ramais de distribuição, Pizo faz questão de agradecer a comunidade universitária que entendeu as necessidades técnicas e contribuiu da melhor forma possível para a realização do trabalho.

A nova subestação da UEM está localizada próximo à Estação Meteorológica. A Unidade traz novas perspectivas para a Universidade, assim como o Projeto de Eficiência Energética aprovado recentemente em chamada pública da Copel e da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que deve entrar em funcionamento no próximo ano, ligado ao uso eficiente de fonte de energias renováveis e à adoção de políticas de redução de consumo.  

Galeria de Fotos

Acompanhe a matéria que a TV UEM produziu em outubro, quando a subestação ainda estava em construção